Pilotando avião bimotor, príncipe Philip visitou o Brasil antes da rainha, em 1962

O duque de Edimburgo se impressionou com a arquitetura de Brasília, cumprimentou Pelé e assistiu a Palmeiras X Santos no Pacaembu

A primeira visita da rainha Elizabeth II ao Brasil em 1968 foi um marco nas relações entre Brasil e Inglaterra. Mas, se para a rainha tudo era novo, para seu marido e acompanhante, príncipe Philip, a visita foi pontuada por lembranças. O duque de Edimburgo já havia visitado o País em 1962, quando participou do tour pela América do Sul da ambiciosa campanha de vendas do avião bimotor Dart Herald, produzido pela companhia inglesa Handley Page. Piloto experiente, sua alteza real assumiu ele mesmo o comando da aeronave durante a turnê que visitou 10 países. Tendo Peter Middleton (avô de Kate Middleton, duquesa de Cambridge), como copiloto, Philip voou mais de 20 mil milhas, visitou a Guiana Inglesa, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, Uruguai, Chile, Argentina e Brasil;  passou por algumas das rotas mais perigosas do mundo e enfrentou condições críticas, como no pouso de emergência que precisou realizar em Brasília.

 

 

Logo após decolar de Brasília com destino a São Paulo, uma pane na turbina esquerda do avião obrigou Philip a realizar um pouso com o motor da aeronave desligado. A manobra correu sem maiores intercorrências, o que rendeu ao duque elogios sobre sua habilidade como piloto. O Dart Herald permaneceu em Brasília para reparos, enquanto o príncipe seguiu para São Paulo no mesmo dia, viajou no Viscount presidencial.

 

A visita. Philip chegou ao Brasil em 15 de março de 1962, para uma visita de 7 dias. Depois seguiu para Buenos Aires e passou novamente pelo País na sua rota de retorno ao lar. Na sua visita passou por Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro onde manteve encontros visando estreitar os laços entre o Reino Unido e fomentar parcerias comerciais entre os dois países. Foi recebido no Palácio do Planalto pelo presidente João Goulart, que lhe ofereceu como condecoração a Grão-Cruz do Império Britânico, aos presentes comentou como havia se impressionado com a arquitetura  da nova capital brasileira.

 

Apesar da agenda agitada, o príncipe pôde desfrutar de outra de suas paixões, além da aviação, os esportes. Em São Paulo, no Estádio do Pacaembu, assistiu a um clássico realizado em sua homenagem, Palmeiras X Santos. Philip cumprimentou os jogadores antes da partida, o craque Pelé estava entre eles. A partida terminou com a vitória do Santos por 5 a 3, com dois gols do rei do futebol. Também na capital paulista, participou do Grande Prêmio em sua homenagem realizado no Jockey Clube. Na passagem por SP hospedou-se com a família Silva Prado e chegou a conhecer a fazenda da família em Araras. Despediu-se do Brasil com votos de um retorno em breve. A visita de Philip foi a segunda visita de membros da família real de Windsor ao País. Antes do duque, o pai e o tio de Elizabeth II  passaram uma temporada no Brasil em 1931Na época George VI e Edward VIII eram jovens e ainda eram príncipes.

O duque de Edimburgo nas manchetes. A cobertura da vista foi extensa. Apesar do duque não ter dado entrevistas, a imprensa o acompanhou a todos seus compromissos. Fotografias e informações sobre os eventos estamparam os jornais durante toda a turnê. A impressão deixada pelo príncipe foi de simpatia e bom humor. Antes de sua chegada a São Paulo, o Estadão publicou um Suplemento Feminino especial sobre sua alteza real. “O príncipe Philip, de 40 anos de idade, marido da rainha Elizabeth II preparou cuidadosa e detalhadamente esta viagem, esperando-se que possa exibir as qualidades que o fizeram querido” contava a matéria que também trazia um  perfil do duque e contava um pouco de sua vida em família, ao lado da rainha da Inglaterra e de seu filho, príncipe Charles, herdeiro do trono. Em 1968, Philip e a rainha Elizabeth II vieram ao Brasil, para uma visita oficial de 10 dias, foi a primeira vez que um monarca do império britânico visitou o País.

> Estadão – 16/3/1962