Pessoas com excesso de peso perdem de 16 a 23 quilos com medicamento para diabetes, diz estudo

Tirzepatide, que é vendido sob a marca Mounjaro, foi estudado em pessoas sem diabetes em três dosagens

Uma dose semanal de um medicamento recentemente aprovado pela Food and Drug Administration (FDA), agência semelhante à Anvisa dos Estados Unidos, para tratar diabetes tipo 2 pode ajudar adultos sem diabetes a perder peso também, segundo um novo estudo.

O tirzepatide, que é vendido sob a marca Mounjaro, foi estudado em pessoas sem diabetes em três dosagens: 5, 10 e 15 miligramas. Os participantes com obesidade ou que estavam acima do peso e tomaram a dose de 5 miligramas perderam uma média de 16 quilos, aqueles na dose de 10 miligramas perderam uma média de 22 kg e os participantes na dose de 15 miligramas perderam uma média de 23,6 kg.

“Quase 40% dos indivíduos perderam um quarto de seu peso corporal”, disse a coautora Ania Jastreboff, codiretora do Yale Center for Weight Management em um comunicado.

“Os dados foram bastante impressionantes”, disse Robert Gabbay, diretor médico da American Diabetes Association, que falou à CNN das 82ª Sessões Científicas da ADA em Nova Orleans, onde os resultados do estudo foram apresentados.

“A perda de peso que eles obtiveram neste estudo foi ainda maior do que o que havia sido observado em estudos anteriores de pessoas com diabetes“, disse Gabbay, que não esteve envolvido no estudo.

“A faixa intermediária de perda de peso para as pessoas neste novo estudo foi de 49 libras [22 kg] – 49 libras é muito”, disse ele. “É a faixa de perda de peso que normalmente pensamos ser possível apenas por meio de cirurgia”.

Ao todo, as pessoas sem diabetes perderam uma média de 15% a 20,9% de seu peso corporal inicial ao longo do ensaio clínico de 72 semanas, publicado no sábado (4) no The New England Journal of Medicine. Os participantes que receberam placebo, uma substância sem qualquer efeito para o organismo, perderam entre 2,4% e 3,1% de seu peso corporal, em média.

Em comparação, estudos com pessoas com diabetes que usaram tirzepatide indicaram uma média de perda de 15% do peso corporal inicial, disse Gabbay.

“Esta não é uma observação incomum”, disse ele. “O impacto de medicamentos anteriores para perda de peso são menos eficazes em pessoas com diabetes e, honestamente, não sabemos exatamente o porquê”.

No entanto, o impacto da tirzepatide em pessoas com diabetes ainda é “profundo”, disse Gabbay, “fornecendo muito mais do que outras ferramentas que tivemos”.

Dose auto-injetada

Para o novo estudo, injeções semanais de tirzepatide foram testadas em mais de 2.500 pessoas sem diabetes que tinham um índice de massa corporal (IMC) acima de 30 ou 27 e tinham pelo menos uma condição de saúde relacionada ao peso, como pressão alta, colesterol alto ou doença cardiovascular. Uma medida da relação altura/peso de uma pessoa, um IMC de 25 ou superior é considerado excesso de peso em adultos.

No início do estudo, os participantes tinham um peso médio de 104,8 kg e um IMC médio de 38.

Os adultos do estudo se injetaram com tirzepatide ou placebo uma vez por semana, usando “um pequeno dispositivo semelhante a uma caneta com uma agulha minúscula”, disse Gabbay. “A picada dessa agulha é menos dolorosa do que, por exemplo, pessoas que picam os dedos para medir a glicose no sangue”.

As pessoas no estudo também receberam sessões de aconselhamento para ajudá-las a manter uma dieta saudável com um déficit diário de 500 calorias, bem como pelo menos 150 minutos de atividade física por semana. Embora isso certamente tenha ajudado, não explica a magnitude da perda de peso observada no estudo, disse Gabbay.

“O tipo de perda de peso que vemos quando as pessoas se exercitam e alteram sua ingestão de calorias está em algum lugar na ordem de 5% a 7%”, disse ele. “Este estudo mostrou uma perda de peso profundamente maior, muito acima do que imaginamos com mudanças no estilo de vida”.

Os efeitos colaterais mais comuns relatados foram náuseas, diarreia e constipação. Entre 2,6% e 7,1% dos participantes interromperam o tratamento devido a eventos adversos.

O medicamento Mounjaro traz um aviso em caixa sobre tumores da tireoide e não deve ser usado por pessoas com histórico familiar de condições específicas da glândula.

“A obesidade deve ser tratada como qualquer outra doença crônica – com abordagens eficazes e seguras que visam (causas de) doenças subjacentes … e esses resultados ressaltam que a tirzepatida pode estar fazendo exatamente isso”, disse Ania, do Yale Center for Weight Management em um comunicado da American Diabetes Association.

“Esses resultados são um importante passo à frente na potencial expansão de opções terapêuticas eficazes para pessoas com obesidade”.