Palmeiras pode depender do Corinthians para avançar no Paulistão

Mesmo que de forma espaçada, a maior parte dos 2.821 torcedores que estiveram em Presidente Prudente, no Estádio Paulo Constantino (Prudentão), “coloriu” as arquibancadas de verde. No entanto, o domingo foi mais azul para os apaixonados pelo Água Santa que comemoraram a vitória por 4 a 1, diante do Palmeiras, pela 12ª rodada da série A, do Paulista. O resultado aliviou ainda, a situação da equipe de Diadema, que por hora, deixou a zona de rebaixamento. Já o Verdão, que atingiu o quarto jogo sem vitória, chegou à última posição do grupo B. E, agora, depende do Corinthians, para se classificar no campeonato.

A derrota mudou significativamente os planos do elenco do time da capital, já que para evitar o “encontro” com a torcida no aeroporto, viajou de ônibus e chegou em São Paulo, às 5h de ontem. No sábado, parte da organizada esteve na Academia de Futebol para fazer cobranças. O presidente do clube, Paulo Nobre, comentou a situação, porém, garantiu que não entraria na pressão. “Eu não tenho nada contrário a nenhum torcedor, seja uniformizado ou não. Mas a filosofia desta diretoria é de que a conversa com o elenco cabe aos profissionais envolvidos com o futebol, e não ao torcedor”. Com o resultado de domingo, Palmeiras atingiu quatro derrotas

Incomodado também, Cuca, contratado recentemente, atingiu a quarta derrota no comando técnico da equipe, no entanto, diz que é preciso recuperar a autoestima do grupo. “Não é só um problema técnico. Temos que se fortalecer em todos os sentidos, e precisamos da união de todos, em todas as esferas”, relata. Mas voltando no tempo, 90 minutos antes, o clima nas arquibancadas era completamente diferente do encontrado nos vestiários do alviverde. E o que mais se via era a confiança dos torcedores.

Primeira vez

Acompanhada do pai, Danilo Cavalheiro, 37 anos, a jovem Ana Beatriz, 7 anos, fez a sua estreia na arquibancada, e até arriscou o placar antes da bola rolar. “Vamos ganhar de 3 a 0. Adorei tudo, a torcida é muito bonita”, elogiou a garota. Não menos empolgado, o pai apostava no cenário para o triunfo. “Não tem lugar melhor, do que o Prudentão. Aqui a energia sempre foi boa, e ajudou”, garantiu.

Já Celso Moraes, 54 anos, que é fã de carteirinha de partidas, em Prudente, apostava no retrospecto negativo do adversário, que vinha de uma derrota por 4 a 0, contra o Grêmio Novorizontino. “Chegou a hora da reabilitação. O Água Santa também não está bem”, afirmou. Opinião parecida, com a de Paulo Henrique Ribeiro da Silva, 21 anos. “É um time mais inferior, não há momento melhor para sair dessa situação”, falou.

Entretanto, a empolgação não abalou em nada os jogadores do Netuno, como é conhecido o time de Diadema, que aos 35 do primeiro tempo, abriu o placar com o zagueiro Gustavo. O empate do Verdão foi de pênalti, aos 42, porém aos 44 o centroavante Everaldo colocou novamente o Água na frente, e Bruninho ampliou o placar.

Não é para empolgar

Na etapa final, o zagueiro Roger Carvalho balançou a rede, porém contra, e selando a vitória do Água Santa por 4 a 1. “Foi um resultado muito importante para nossa equipe. A gente não imaginava, contra o Palmeiras fazer isso, mas nos empenhamos muito para isso”, disse o zagueiro Gustavo, autor do primeiro gol. Já o técnico do time de Diadema, Marcio Bittencourt, que fez a sua estreia, apesar de comemorar o triunfo, garantiu que o momento é de ter tranquilidade. “Não podemos nos empolgar. O futebol é assim, nos proporciona a oportunidade de vencer grandes equipes, mas temos que manter a cabeça no lugar”, completou.

Um dos poucos a comemorar no Estádio foi José Alexandre da Costa, 50 anos, que em caravana, viajou mais de 500 km (quilômetros) até a capital do oeste paulista, para ver seu time. “Somos um time novo, porém de torcedores fiéis. É complicado jogar no interior, mas entendemos que para o clube é bom, e apesar da crise que a gente vive, tenho certeza que vamos sair e nos manter na Primeira Divisão”, garantiu.

Desafios

Com as três últimas derrotas consecutivas no Paulista, segundo a Folhapress, o Palmeiras viu sua situação na tabela de classificação se complicar e agora depende até de seu maior rival, o Corinthians, para avançar às quartas de final da competição.

Na quinta e última posição do Grupo B com 15 pontos, a equipe alviverde precisa superar pelo menos três dos quatro concorrentes que estão à sua frente para obter a vaga na próxima fase: São Bernardo (16 pontos), Ponte Preta (16 pontos), Novorizontino (18 pontos) e Ituano (18 pontos). Destes, os times de Campinas e Novo Horizonte ainda enfrentarão a equipe do Parque São Jorge, que tem a melhor campanha na classificação geral e já garantiu a liderança de sua chave.

O Palmeiras ainda terá pela frente o Corinthians em jogo marcado para o próximo domingo, no Pacaembu. Os três pontos que separam o Palmeiras da zona de classificação para as quartas de final é o mesmo número que separa o time da zona de rebaixamento. O clube está na 13ª posição na classificação geral, o segundo fora da degola – o primeiro é o Água Santa.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com