O que se sabe sobre o novo míssil de longo alcance da Coreia do Norte

Kim Jong Un participou pessoalmente do lançamento da arma, conhecida como Hwasong-17

Líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un

Coreia do Norte testou um novo tipo de míssil balístico intercontinental (ICBM), seu primeiro teste de longo alcance em mais de quatro anos e marcando uma potencial nova era de confronto regional.

A mídia estatal norte-coreana disse na sexta-feira (25) que o líder Kim Jong Un orientou pessoalmente o lançamento da arma, conhecida como Hwasong-17, a mais avançada até o momento. O relatório descreveu o lançamento como um “poderoso dissuasor de guerra nuclear” e citou Kim dizendo que as forças do país estavam “totalmente prontas” para um eventual confronto militar com os Estados Unidos.

A enorme arma poderia, pelo menos teoricamente, colocar todo o continente americano ao alcance de uma ogiva nuclear norte-coreana, mas há muitas incógnitas sobre a capacidade do míssil de lançar uma carga nuclear no alvo.

Conheça algumas informações sobre o míssil lançado na quinta-feira (24).

Qual é o alcance do míssil?

A mídia estatal norte-coreana divulgou na sexta-feira (25) fotos mostrando o enorme míssil de combustível líquido sendo disparado de um lançador móvel no Aeroporto Internacional de Pyongyang.

O relatório da Agência Central de Notícias da Coreia disse que o míssil atingiu uma altitude máxima de 6.248,5 quilômetros, voou uma distância de 1.090 quilômetros e teve um tempo de voo de 68 minutos antes de “pousar com precisão nas águas planejadas”, entre a Península Coreana e o Japão.

Isso correspondeu às estimativas de monitores japoneses, que disseram que o míssil caiu dentro da zona econômica exclusiva do Japão, cerca de 150 quilômetros a oeste da Península de Oshima, em Hokkaido, a principal ilha ao norte do Japão.

Esse é o teste de míssil norte-coreano com maior altitude e duração já registrado.

Analistas disseram que ele foi disparado em uma trajetória elevada, permitindo que ele evitasse sobrevoar qualquer outro país até seu destino no mar. Mas eles notaram que se fosse disparado na trajetória normal e mais plana de um ICBM, teria todo o território continental dos Estados Unidos ao seu alcance.

“Este é o míssil de maior alcance que a Coreia do Norte já testou”, disse Jeffrey Lewis, especialista em armas e professor do Middlebury Institute of International Studies.

O míssil pode carregar uma ogiva nuclear?

O Hwasong-17 é certamente grande o suficiente para carregar uma, ou possivelmente várias armas nucleares, dizem os especialistas.

“O que isso realmente representa é o progresso constante da Coreia do Norte em direção à capacidade de colocar várias ogivas nucleares em alvos nos Estados Unidos em caso de guerra”, disse Lewis.

Mas, na prática, o progresso não significa a capacidade real de fazer esses ataques. Embora o teste mais recente tenha mostrado o possível alcance do míssil, os especialistas não sabem que tipo de carga ele estava carregando. Como o peso da carga afeta a distância que um míssil pode voar, os observadores não podem precisar o alcance real do míssil sem essa informação.

Testes de mísseis da Coreia do Norte em 2022 / KRT/Reuters

A Coreia do Norte consegue atingir alvos com ogivas nucleares?

Especialistas apontam que Pyongyang não mostrou se é capaz de construir um sistema que permita que a ogiva nuclear sobreviva à reentrada na atmosfera da Terra.

Como os ICBMs são lançados do espaço, como ônibus espaciais ou cápsulas espaciais, a ogiva deve ser capaz de suportar a jornada de fogo através das camadas externas da atmosfera da Terra sem queimar.

“Eu pessoalmente entendo que provavelmente sobreviveria à reentrada, mas há algumas pessoas que duvidam disso”, disse Lewis. “Mas isso é algo que a Coreia do Norte pode aprender com testes como o de quinta-feira”, disse ele.

O que vem a seguir no programa de mísseis da Coreia do Norte?

O líder Kim Jong Un apresentou um plano ambicioso para dar à Coreia do Norte um dissuasor nuclear confiável, ou seja, um arsenal poderoso o suficiente para impedir qualquer adversário, principalmente os EUA, de atacar.

De acordo com o relatório da KCNA de sexta-feira, Kim disse que o úlitmo teste confirmou que as forças estratégicas da Coreia do Norte “estão totalmente prontas para conter completamente quaisquer tentativas militares perigosas dos imperialistas dos EUA”.

Lewis disse que o líder norte-coreano está há mais de um ano apresentando uma longa lista de modernizações de armas.

“Kim disse que essas são todas as coisas que a Coreia do Norte vai fazer e isso inclui um ICBM de ogiva múltipla, um ICBM de propelente sólido, o lançamento de um satélite militar e até mesmo colocar um submarino movido a energia nuclear no mar”, Lewis disse. “Eu não acho que ele vai parar até que a lista esteja completa”, disse Lewis.
Anteriormente, a Coreia do Norte anunciou planos para aumentar a precisão de seus mísseis e aumentar o alcance em até 15.000 quilômetros (9.320 milhas).
“Acho que estamos firmemente em um período de testes de mísseis, testes nucleares e tensão, que provavelmente durará um ano ou mais”, disse Lewis.