O maior iceberg do mundo, chamado A68, desprendeu-se da Antártica.

O maior iceberg do mundo, chamado A68, que tinha uma área de cerca de 6.000 km², o que significa que tinha cerca de quatro vezes o tamanho da cidade de São Paulo, de 1.521 km², desprendeu-se da Antártica em 2017.

O iceberg desapareceu recentemente após derreter em partes cada vez menores, segundo o jornal The Independent.

Pesando um bilhão de toneladas, sendo dono de uma superfície de aproximadamente 5.800 quilômetros quadrados e tendo se desprendido da Antártica em 2017, o A68 passou os últimos três anos sendo empurrado lentamente para norte pelos ventos e correntes predominantes, e estava no limite do gelo marinho do continente.

O iceberg partiu em pedaços cada vez menores a aproximadamente 225 quilômetros a nordeste da Geórgia do Sul.

 

 

O Centro Nacional de Iceberg dos EUA anunciou que o maior iceberg do mundo, o A68, que se desprendeu da Antártica em 2017 e cobre uma área de aproximadamente seis mil quilômetros quadrados quando se desprendeu, se derreteu durante o percurso.

Seu deslocamento preocupa, já que pode colidir com as ilhas da Geórgia do Sul e provocar danos na vida silvestre da região, habitada por importantes colônias de pinguins e focas.

Em caso de colisão, as rotas normais de alimentação dos pinguins, focas e outros animais poderiam ser bloqueadas, o que dificultaria a alimentação destes animais e suas crias.

“Quando se desprendeu pela primeira vez, o iceberg A68 era aproximadamente 400 vezes mais comprido do que grosso, uma forma muito diferente do que normalmente se imagina de um iceberg […]. Esperamos que não passe muito tempo antes de o A68 se romper em pedaços menores, porém, na realidade, passou vários anos e centenas de quilômetros à deriva antes de derreter”, afirmou Adrian Luckman, professor de Geologia da Universidade de Swansea, Reino Unido.

O episódio chamou atenção nas redes sociais, com pessoas do mundo todo seguindo o trajeto do A68 e compartilhando imagens de satélite do momento em que o iceberg congelado se aproximava das ilhas britânicas. Porém, o A68 já não existe mais.