DF pode passar por nova frente fria em junho; temperatura segue em queda

De acordo com a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a chegada do inverno, que começa oficialmente em 21 de junho, deve favorecer a queda nos termômetros.

Os moradores do Distrito Federal devem se preparar para a possível chegada de uma nova frente fria no mês de junho. De acordo com a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a chegada do inverno, que começa oficialmente em 21 de junho, deve favorecer a queda nos termômetros. Nesta segunda-feira (30/5), o DF registrou como mínima 7,3ºC, em Águas Emendadas.

Os moradores do Distrito Federal devem se preparar para a possível chegada de uma nova frente fria no mês de junho. De acordo com a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a chegada do inverno, que começa oficialmente em 21 de junho, deve favorecer a queda nos termômetros. Nesta segunda-feira (30/5), o DF registrou como mínima 7,3ºC, em Águas Emendadas.

“Pode ser que tenha, no próximo mês (junho), uma nova frente fria avançando. Esta semana não tem nenhum tipo de indicativo, mas estamos entrando no inverno, e com isso imaginamos que as temperaturas sejam mais baixas e o clima, mais seco”, explica o meteorologista Olívio Bahia. Segundo o especialista, o último mês foi de transição para a capital federal. “As madrugadas já mudaram completamente, precisamos usar roupas mais pesadas, principalmente quando está ventando”, diz.

Ainda de acordo com Olívio, a frente fria que atualmente atua no norte do Rio Grande do Sul não deve alcançar o DF. “Ela não tem força para chegar a latitudes mais baixas. Ou seja, não chega aqui (no DF). Mas, nos próximos dias, outra frente fria pode se formar. Vamos acompanhar a intensidade do sistema para ver se ele entra avançando no território brasileiro”, diz.

Para esta segunda-feira, a previsão é que os termômetros alcancem até 29ºC, e a umidade relativa do ar deve variar entre 85% e 20%. “Já começamos a sentir o ar seco, sujo. Seja no valor de 30% ou 20%, se saímos para fazer uma caminhada, por exemplo, já começamos a sentir a pele ressecada. Com poucas nuvens, a radiação mesmo menor, ainda é alta e provoca impacto na pele”, explica.

Segundo Olívio, nos próximos dias, o tempo fica seco, com poucas nuvens e predomínio de sol. “Então a indicação é beber bastante líquido, manter o corpo hidratado”, diz. Vai haver pouca mudança nos próximos dias, de acordo com o especialista. “Veremos temperaturas elevadas durante o dia, baixas pela noite, e umidade baixa. Isso é característico dessa época do ano. Uma ou outra vez devemos enfrentar frentes frias como a última, mas é algo esporádico”, avalia.

A orientação da Defesa Civil é beber, pelo menos, seis copos d’água por dia, pingar duas gotas de soro fisiológico em cada narina, ter toalhas molhadas e bacias de água nos quartos, usar roupas leves e, se possível, de algodão. Também faz parte das recomendações não fazer exercícios físicos entre 10h e 17h e evitar queima de lixo e entulho. Confira a orientação para cada nível de medição abaixo.

Entre 21% e 30% por cinco dias consecutivos: estado de atenção
– Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h;
– Umidificar o ambiente por meio de vaporizadores, toalhas molhadas e recipientes com água;
– Consumir água à vontade.

Entre 12% e 20% por dois dias seguidos: estado de alerta
– Observar as recomendações do estado de atenção;
– Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h e 17h;
– Evitar aglomerações em ambientes fechados;
– Usar soro fisiológico nos olhos e nas narinas.

Abaixo de 12% por dois dias seguidos: estado de emergência