Conta de luz fica mais cara no DF após reajuste da Aneel

A partir desta terça-feira (1º), Agência Nacional de Energia Elétrica passa a cobrar bandeira vermelha. Alta é de R$ 0,06 para cada quilowatt-hora (kWh) consumido.

A partir desta terça-feira (1º), os consumidores do Distrito Federal vão pagar mais caro no valor da conta de luz. Na segunda-feira (30), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu que será adotada a bandeira vermelha patamar 2, a de maior valor no sistema da agência, em todo país.

Com o reajuste, passa a ser cobrado mais R$ 0,06 a cada quilowatt-hora (kWh) consumido. De acordo com a Companhia Energética de Brasília (CEB), a média de consumo mensal no DF é de 220 kWh.

Para um consumidor que, normalmente, paga R$ 100 na conta de luz, com a tarifa extra, a fatura deve aumentar para R$ 109,37.

Em 26 maio, a Aneel havia anunciado que não haveria cobrança extra na conta de luz até 31 de dezembro deste ano, em razão da pandemia do novo coronavírus. No entanto, na reunião desta segunda-feira, a agência decidiu revogar a decisão e aplicar os novos valores.

Bandeiras tarifárias — Foto: Juliane Monteiro/Arte G1

Motivo da cobrança extra

 

Segundo o relator da proposta, Efrain Pereira da Cruz, o despacho de maio foi revogado porque o Brasil voltou aos patamares de consumo anteriores ao início da pandemia.

No entanto, conforme a Aneel, a oferta de energia está comprometida em razão dos baixos níveis dos reservatórios. Dessa forma, o mecanismo da bandeira voltou a ser necessário no entendimento do órgão.

“Essa condição de oferta adversa, somada à tendência de recuperação de carga da energia aos patamares pré-crise, são indícios concretos de que o mecanismo das bandeiras já merece ser restabelecido e a curto prazo”, afirmou o relator.

Em outubro, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) autorizou o acionamento de termelétricas para garantir o suprimento de energia no país. A medida costuma ser adotada quando o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas está abaixo do recomendado.