Como é o gigantesco ‘túnel magnético’ que envolve o sistema solar, segundo pesquisadores

Galáxias, como vários planetas, também possuem um campo magnético. Essa descoberta pode nos ajudar a entender melhor como essas regiões do espaço funcionam.

Nosso sistema solar está envolto em um gigantesco “túnel magnético” que liga duas vastas regiões de nossa galáxia que pareciam estar desconectadas.

Essa é a conclusão de um estudo recente na área dos campos magnéticos do cosmos, uma característica do nosso universo sobre a qual ainda existem muitas perguntas sem resposta.

Essa descoberta de uma equipe da Universidade de Toronto (Canadá) pode ser útil para entender melhor como os campos magnéticos do universo funcionam e como eles afetam o comportamento e a evolução das galáxias.

“Este modelo tem implicações para o desenvolvimento de um modelo holístico de campos magnéticos em galáxias”, escrevem os autores do estudo.

O que foi descoberto e como isso pode ajudar a melhorar nossa compreensão do universo?

Campos conectados

A investigação foi focada em duas estruturas gigantescas da nossa Via Láctea conhecidas como “Esporão Polar Norte” (NPS, na sigla em inglês) e “Região do Ventilador” (Fan).

O Esporão Polar Norte é uma enorme faixa de gás quente que emite raios-X e ondas de rádio.

Por sua vez, a Região do Ventilador é uma área altamente polarizada, cujo campo elétrico se abre no formato de um ventilador. Ambas as regiões são visíveis através de radiotelescópios e, da Terra, estão localizadas em lados opostos do espaço.